Descrição do Projecto

Edifício Padaria – Porto

"casa de 1850 transformada em edifício de escritórios

o edifício foi transformado num caso de estudo onde, ao longo da evolução do projecto se criou um espaço de investigação e de crítica.

O espaço esta dividido em 11 salas de escritório, um espaço comum para reuniões, uma copa, terraço e jardim.

O projecto de adaptação teve como objectivo reaproveitar ao máximo os recursos existentes no edifício, tirar o máximo partido da sua orientação e exposição solar, dos ventos e do solo, onde se encontra implantado. Realizar sistemas autónomos de arrefecimento e aquecimento passivos, sem por em causa a qualidade do ar interior, utilizar materiais naturais com características de permeabilidade ao vapor de água ajustada para cada elemento, em detrimento de materiais sintéticos que formam barreiras ao vapor impedindo a sua difusão.

Aproveitamento após tratamento das águas das chuvas e de sabão (que resultam dos lavatórios) para arrefecimento e para abastecimento das cisternas das sanitas.

A demolição dos elementos obsoletos, degradados ou necessários para cumprir o programa, foi elaborada com total separação dos resíduos de construção para permitir a reaplicação, como matéria prima.

Com os sistemas propostos não se procura uma total autonomia do edifício, mas sim, um aproveitamento máximo dos recursos disponíveis de forma passiva e natural sem introdução de equipamentos e sistemas dispendiosos ou com elevado consumo energético."

O Edifício Padaria – Porto, foi distinguida com Menção Honrosa na categoria Melhor Solução de Eficiência Energética.

Premio Nacional da Reabilitação Urbana 2017

 

ano de projecto: 2013
área: 650 m2
arquitectura: Arqª Diana Barros
especialidades: Engº Ricardo Santos
projecto de estruturas: NCREP